Vocabulário de ideias

A lista em ordem alfabética a seguir refere-se aos neologismos e termos cunhados nos livros de ficção, sendo apenas conceitos fictícios e não relacionados a realidade ainda, que tenha por inspiração conceitos existentes.

 

 ANALISADOR DE EVENTOS PRELIMIAR: Tecnologia de Probabilística dimensional em que se analisam dados de todos os relacionados a uma realidade, eclodindo a eventos por ele previstos.

 

ANTROSOFIA: Relativo ao limitado conhecimento cientifico do homem, ante o materialismo.

 

BOMBA NEGRA: Artefato capaz de criar no espaço-tempo um campo de sucção, um buraco negro artificial de curto período de vida. Geralmente usado para destruir campos de asteroides. Especula-se estar sendo usado secretamente num experimento em que seria capaz de criar novos mundos ou estrelas. Há quem diga que, na realidade, abra um portal para outra dimensão.

 

BOMBA DE PLANK: Uma poderosa arma de proporções práticas ainda desconhecidas, por nunca ter sido testada. Acredita-se que o potencial dela seja equivalente à explosão que originou o universo.

 

BOMBA QUÂNTICA: Um artefato de procedência desconhecida que pode criar torções espaço-temporais.

 

BRAIN, e-Quantic: Supercomputador quântico da base Marchal, que ao catalogar dimensões extras, descobriu sinais eternos emanando do centro do universo deles.

 

BÚSSOLA DO TEMPO: indica por detecção de discrepâncias de realidade, pontos de fissura ou suscetíveis a bifurcações dimensionais por sutis alterações no ‘I Ching’; descrita por Follet Goldberg como indicação de onde está mais fina a malha temporal.

 

CAIXA DE AUSTER: história narrada no conto ‘Éden’, onde demonstra-se o poder da fé mediante a boa canalização da esperança sobre um objeto: uma caixa capaz de parar guerras.

 

CENTRO DO UNIVERSO: Proposta hipotética do ponto zero de onde o Universo se originou, podendo ir do nada absoluto a um tipo de buraco Branco.

 

CFM: O Centro Forence de Memética é um ramo da criminalística que investiga provas meméticas diretamente do cérebro humano, tanto das vítimas como dos suspeitos com provas a seus crimes.

 

CRIATURAS PÓS-HISTÓRICAS: Seres de evolução e(ou) existência após a história contemporânea do holoceno da raça humana. Sendo muitos dos denominados seres soltos no Apocalipse. Seres que surgiram após a queda da raça humana referente ao livro ‘Síndrome Celestial’.

 

CRIPTOPOLIS: Cidade oculta dentro da civilização. 

 

CRONOBOLHA: Efeito observado na criação de campo temporal como um bóson temporal que cria uma defasagem temporal ou dimensional.

 

CRONOFANIA: Fenômeno de aparição materializada de Chronos com efeitos temporais.

 

CRONOFOBIA: Medo do tempo linear.

 

CRONOPATIA: Um das doenças oriundas de intervenções transtemporais denominadas cronoozes.

 

CRONOPHONE: Equipamento de comunicação dimensional/temporal.

 

CRONOCAÍNA: Droga capaz de alterar a percepção do tempo segundos à frente do tempo.

 

CHRONOLOGO: Também chamado de Cronólogo, nome dado ao estudioso dos conceitos de mecânica temporal.

 

CYBERGNOSE: Seita fictícia de Underidion que mistifica a internet numa gnose virtual que mescla ideias de William Gibson e da Deep Web.

 

CRIPTO-HISTÓRIA: Estudo dos bastidores da história, e o maquiavelismo que possa estar por de trás desta.

 

CRONOBIOSE: Seres que vivem apenas na dimensão do tempo como informação consciente.

 

CRONOGEMAS: Gemas com propriedades temporais influenciando convergências e divergências dimensionais e eventualmente podendo ser Onigeos.

 

CHRONOGRAFIA: Conhecido igualmente por Tempografia é a disciplina de mapeamento geotemporal que inclui áreas desconhecidas do espaço e tempo.

 

CRONOMITAS: Aderentes a Cronos, o deus do tempo linear.

 

DOCA: O Rastreador de Mentes ou Detector de Ondas Cerebrais Ativas (Brain Wave Detector Active). É um aparelho capaz de detectar rastros de ondas cerebrais ou residuais (fantasmas) da mente por onde o alvo teria passado, podendo, por intermédio deste detectar parte dos sentidos e pensamentos num período dois minutos; apresentado parcialmente em ‘Adormecidos’.

 

ECO TEMPORAL: Vislumbre dimensional de outro tempo.

 

ESOTERRA: Termo criado pelo autor que significa ‘terra interior’.

 

ESPAÇO NEGATIVO: Alteração dimensional que inverte as propriedades do espaço e entropia, somente seria possível compreender isso através da relação da reversão de tempo inerente ao espaço-tempo.

 

ETHONOLOGIA ou ETHONOMIA: estudo da evolução e deficiências do Ethos.

 

ETHOGENISES: Estudo sobre as origens do Ethos da civilização.

 

FILOGONIA: Do latim ‘amor ao nascimento’ termo que define um poder criador de vida por meios não sexuais/naturais, mas supostamente sobrenatural.

 

FOTM: Foundation of Truth and Memory, organização que reúne materiais históricos, pré-históricos e pós-históricos, assim como ‘side-históricos’ nunca conhecidos da humanidade; a preservação da memória e origem dos mitos da civilização, tem por objetivo proteger a verdade linear ante a anomalia anulativa.

 

METACIÊNCIA: Estudo de pré-fatos de residuais, ressonâncias e ecos existenciais de tempo.

 

NACRÓPOLIS: Cidade subterrânea de um povo humanoide albino e sem olhos.

 

NARCOSE TEMPORAL: Uma síndrome misteriosa, cronopatia que ataca supostos viajantes temporais, onde o córtex é sobrecarregado por informações numa espécie de coma sensorial cujos efeitos a longo prazo fomentam a hiperatividade da glândula pineal, que inibe o sexo com uma frigidez e provocando um aparente inchaço na medula espinhal.

 

NECROPSICOLOGIA: Estudo da psique humana partindo de memórias gravadas em neurônios dos cérebros mortos.

 

NECROSOFIA: Conhecimento instintivo mediante a possibilidade de morte.

 

NEURONAUTA: Viajantes da dimensão mental no conto ‘Neuroversus’; diferenciando-se daquele cuja mente é colocada dentro de outra, sendo aqui uma viagem física pela mente.

 

ONIRÍCIDIO: transcrição do homicídio ao estado onírico, induzindo a morte consciente ou mental daquele adormecido, mesmo que, posteriormente, transcrito a supostas entidades meméticas de consciente independente.

 

PARANAUTA: Uma espécie de astronauta de dimensões paralelas ou para-universos.

 

PERCEPÇÃO SENSÍVEL: Capacidade perceptiva interior inerente a determinada emoção na forma como se compreende algo por vias sensoriais.

 

PSICONAUTA: Explorador de sonhos lúcidos.

 

POLUIÇÃO MORAL ou SOCIAL: Aspectos discrepantes da empatia, toxidade, abuso, autoritarismo, negativismo podendo ter relação ou não com uma antropatia.

 

PSICOGNITIONIS: Junção do termo ‘psico’ (alma) e do latim ‘cognitionis’ (conhecimento), conhecimento da alma. Pode igualmente ser interpretado como psicosofia.

 

RELÓGICO DIMENSIONAL: Misterioso artefato do século XIX construído pelo relojoeiro (Anil) sobre conhecimentos do ‘Tractatus Ad Tempus’, que mostra horários e pontos onde ocorrem fissuras e eventos temporais, vendido a um membro da Ordo Christianistas Ad Ventus.

 

REM Inc: A principal e maior empresa de produção de sonhos oníricos, que se utiliza de um sistema de conexão mental coletiva na produção de sonhos coletivos interativos entre seus usuários. Entretanto, alguns acusam tal empresa de monopólio do ramo ao simplesmente esmagar a concorrência com sua tecnologia; proposta no livro ‘Sleepners’.

 

SAPIOFOBIA: Medo da alta inteligência, termo cunhado ao conto de mesmo nome.

 

STONEWORM: Verme de Rocha, um tipo de macro verme, uma minhoca gigante pós-apocalíptica que povoa a terra se alimentando de micro-organismos de pedras normalmente vulcânicas. Uma criatura pós-histórica, após a extinção da civilização humana terrestre.

 

TIMESTREAM: Tecnologia de transmissão de áudio e vídeo dimensionais holográficos de outros tempos.

 

VERBOGONIA: Nascimento pelo verbo, ideia arraigada no poder da palavra o qual judeus acreditavam e que mesmo aludia a ideia do nascimento de Jesus como ‘verbo que se fez carne’.

 

ZONAS DE CREPÚSCULOS: Área de um planeta com rotação incomum, onde não é nem manhã plenamente, nem noite; os dias são um eterno amanhecer, bem como os polos de hoje.